Título Nacional: O Pacto
Autora: Jodi Picoult
Ano de Lançamento: 2007
Número de páginas: 400
Editora: Planeta
Título Original: The Pact

Cazuza cantava 'nossos destinos foram traçados na maternidade' e todo mundo sempre achou muito bonito. Mal sabia ele que anos mais tarde uma mulher estrangeira escreveria um livro sobre essa história. Um casal destinado a ficar junto desde o momento que dividiram o berço no hospital e que só a morte poderia separar.

Era uma vez duas famílias. Os Harte e os Gold. Apesar dos nomes diferentes era dificil separá-los ou definir onde uma terminava e a outra começava. Eles pareciam uma grande família feliz. Quando se conheceram, as duas esposas estavam grávidas e logo se tornaram inseparáveis. Por isso, os maridos não tiveram outra opção senão se tornarem amigos também. Quando os bebês nasceram, Christopher e Emily, ficou mais do que claro que um dias eles seriam um casal.

Na primeira página do livro, descobrimos como essa história acaba. Emily morta no colo do Chris. A narrativa alterna passado e presente, mostrando como foi que eles chegaram até ali.Como Emily está morta desde o começo, os demais persongens ficam encarregados de mostrar quem e como ela era. A princípio vemos todos os acontecimentos do ponto de vista de Chris, mas chega uma hora que somente a própria Emily pode explicar porque as coisas terminaram assim.

A morte em sim já é um problemão, mas existe outro probleminha, o moço é acusado de assassinar Em, mas alega desde o começo, que os dois fizeram um pacto de suicidio. Esse acontecimento ganha tantas versões que chega uma hora que fica dificil decidir em quem acreditar. A história também explora o efeito da tragédia nas duas famílias, que passam do amor ao ódio. Os dois casamentos viram só fachada.

Em algum momento fica óbvio que crescer como uma unica familia mexeu com a cabeça dos dois adolescentes. Fazendo parecer que o namoro era inveitável, uma obrigação. Emily amava muito Chris, mas ao mesmo tempo o via como um irmão, o que a confundia e mais do que isso dava nojo. Chris, que quando pequeno não entendia o que os pais esperavam dele e Emily, não conseguia imaginar a vida sem ela, queria casar e ter filhos. Ele abraçou desde o começo aquilo que foi sonhado para eles.

Resumindo, é um linda e trágica história de amor. Um amor tão grande que transforma dois indivíduos em uma pessoa só.

Um comentário:

  1. Nossa.. parece muito forte e triste..
    acho q vou chorar muito se for ler esse livro ehehehe

    ResponderExcluir

Sigam-nos os bons!

Giselle lê

Robertha lê

Nathaly lê

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

Ache no blog

Curte aí!

140 caracteres