Pode conter spoilers ou não

O mocinho chega a um lugar desconhecido e selvagem. Seu intuito é conquistar aquele local. Ele conhece os nativos. Conhece uma nativa. Apaixona-se. Pela garota, pelo lugar, pela ideia. Muda de lado e percebe que sempre esteve do lado errado. Agora ele tem que salvar aquele lugar, aquele povo e, no final de tudo, conseguir ficar com a mocinha.

Esse enredo pode ser visto em diversos filmes hollywoodianos. Mas também é a história da segunda maior bilheteria do cinema: Avatar.

Sou suspeita pra falar desse filme. Simplesmente porque amo Avatar. #prontofalei E quando descobri que James Cameron lançaria uma versão com 8 minutos de cenas inéditas corri para a sala de cinema logo na primeira semana.

Pra mim é difícil explicar com detalhes porque eu gosto tanto desse filme. Foi mais uma questão de empatia imediata. Um dos motivos é sua mensagem ambientalista e anti-imperialismo. Outro ponto importante é o papel da mulher. Algumas das personagens mais importantes de Avatar são mulheres. Fortes, decididas e guerreiras.

Porém, no balanço geral, o que me ganhou mesmo é o conjunto da obra. Uma boa história, bons atores, efeitos especias muito bons, mas sem atrapalhar o desenrolar do filme.
Mas como estou falando da versão especial, vou citar as cenas inéditas pra vocês:

-> Durante o primeiro voo de Jake com seu corpo de Avatar, eles avista algumas especies de animais diferentes

-> Na primeira expedição de Jake, Grace e Norman por Pandora, eles visitam a escola abandona da Dra. Augustine.

-> Quando Neytiri leva Jake a tribo dos Omaticaya, ele se apresenta a ela e pergunta seu nome.

-> Após a cena em que Jake estabelece a conexão com seu banshee voador, há uma nova cena de caça.

-> Após a destruição da Árvore das Almas, vemos uma cena da resistência dos Na'vi. Com direito a mortes humanas e destruição em massa. (O motivo do corte dessa cena é bem óbvio...)

-> Depois da batalha final, Tsu'tey, muito machucado, pede a Jake que lhe dê uma morte honrada e o substitua no cargo de chefe do povo Omaticaya.

Eu super recomendo pra quem ainda não viu! Versão com cortes ou sem.

0 comentários:

Postar um comentário

Sigam-nos os bons!

Giselle lê

Robertha lê

Nathaly lê

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

Ache no blog

Curte aí!

140 caracteres