Título Nacional: A Dama das Amêndoas
Autor: Marina Fiorato
Ano de Lançamento: 2009
Número de Páginas: 311
Editora: Prumo
Título Original: The Madonna of the Almonds

O livro conta três histórias em paralelo: a primeira, da jovem nobre Simonetta, que perde seu marido na guerra e tem que lidar com sua nova realidade de viúva (o luto, seu sustento). A segunda é a do pintor Bernardino Luini, que tem tantos casos amorosos no currículo quanto talento para as artes. A terceira é a da jovem Amaria e sua avó, que encontram um rapaz perdido e sem memória na floresta, o chamam de Selvaggio e o "adotam".


As duas primeiras histórias logo se cruzam, quando Bernardino é contratado para pintar a igreja de Saronno, cidade onde vive Simonetta. Sobre a terceira história em relação as outras duas eu não posso falar absolutamente nada sem dar spoiler, mas as mentes já calejadas de ler romances podem imaginar o que acontece.


Vale destacar também outros personagens, como a família de judeus que ajuda Simonetta. Em 1500 e poucos, quando se passa a trama, o antisemitismo rolava solto entre a igreja católica, que queria converter todos ou eliminar os que não seguiam o que ela pregava. Fiquei de coração partido com essa parte da história, principalmente pelo destino da família e por pensar em cada coisa horrível que a humanidade já fez por conta da intolerância religiosa!


A narrativa da Marina é um pouco "poética" demais, as vezes ela acaba caindo em alguns clichês na hora de descrever sentimentos ou aparências (mas isso não é nada grave). Uma coisa que eu fiquei na cabeça quando terminei de ler foi que pra quem gosta de novela, cheia de dramas entre mocinha e galã, vai adorar a leitura, porque esse livro é um novelão das oito!

0 comentários:

Postar um comentário

Sigam-nos os bons!

Giselle lê

Robertha lê

Nathaly lê

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

Ache no blog

Curte aí!

140 caracteres