A tag "5 luxos e 1 lixo" foi inspirada na antiga coluna com esse mesmo nome na revista Superinteressante e na das meninas do blog Nem um Pouco Épico.
Olá! Bem-vindos a mais uma tag do blog, que já começa com um tema pseudo-polêmico: livros da Meg Cabot, rainha e diva de todo chick-lit do Universo. Existe um livro lixo dela? Confesso que ainda não li todos os livros dela (é, eu sei que é pecado, mas vou fazer o que se essa mulher é super produtiva?), mas vamos ao post.

5 luxos

5) A Garota Americana (livro #1)

Nesse livro conhecemos Samantha, uma jovem comum de Washington que tem sua vida revirada quando mata sua aula de artes, acaba salvando o presidente dos Estados Unidos de uma tentativa de assassinato. Ela é nomeada embaixadora jovem da ONU, ela é apaixonada pelo cara errado, enfim, ela é adolescente. A história é muito bem desenvolvida e você acaba a leitura amiga da Sam, que gosta mais do No Doubt e da Gwen Stefani do que eu provavelmente vou gostar a minha vida inteira, mas é uma ótima garota.




4) A Mediadora: A Terra das Sombras (livro #1)


Eu sei, é uma vergonha maior ainda nessa vida não ter lido toda essa série, mas só de ter lido o primeiro livro (e o que ouço falarem dos outros cinco), recomendo a leitura! Nessa série somos apresentados a Suzannah, uma garota que pode falar com fantasmas - ela é uma mediadora, que ajuda os tais seres translúcidos a irem para um lugar melhor (ou pior, depende deles). O que vale nessa série é a protagonista forte, independente e girl power. Além do fantasma especial, o fantasma latino, o Jesse.




3) Cabeça de Vento (livro #1)

Outro exemplo de série que li só o primeiro livro, mas sinto que devo indicar tudo. Nesse livro conhecemos Em, uma garota nerd apaixonada pelo melhor amigo, e Nikki, uma super-modelo juvenil cheia da grana. Na inauguração de uma mega-loja, as duas vão ter suas vidas embaralhadas, para dizer o mínimo. O que eu mais gosto nesse livro é que a Meg saiu um pouco da zona de conforto, escrevendo algo mais científico misturado com chick-lit.






2) Série Boy - O Garoto da Casa ao Lado, Garoto Encontra Garota e Todo Garoto Tem

Os três livros são da série "mais adulta" da Meg, e os dois primeiros são narrados através de emails (o terceiro tem um pouco disso também). Eles não tem necessariamente uma ordem, mas eu acho legal ler na ordem de lançamento. A foto ao lado é do meu favorito, o Todo Garoto Tem, que conta a história da ilustradora Jane, que viaja com o casal de amigos Holly e Mark para Itália, pois os dois estão fugindo para se casar. Tudo bem até ela conhecer o amigo de Mark, Cal, um jornalista que irrita profundamente Jane - e os conflitos todos começam. É uma delícia de livro, tem Itália, tem romance, tem citação ao Hugh Jackman e ao Queen, o que mais eu posso querer na vida?



1) A Rainha da Fofoca (toda a série)

Essa série eu não aguentei esperar lançarem todos no Brasil e li logo os três, os dois últimos em inglês e no ebook mesmo, isso porque eu detesto ler no computador, mas a história é muito boa. Lizzie é estudante de moda e com frequência em sua vida seu cérebro briga com a sua boca e ela acaba dizendo coisas que não deveria. Ela é muito engraçada e por vezes um pouco lerda pra perceber o que tá acontecendo e tomar uma atitude, mas é uma personagem apaixonante e totalmente você se identifica com ela. Recomendo fortemente!




1 lixo

A Princesa na Balada (O Diário da Princesa #7)

Sei que tem gente que colocaria a série toda aqui, mas eu tenho um carinho especial demais por ter praticamente crescido junto com a Mia pra fazer isso, e além do mais, acredito que a série tem seus méritos. Só que nesse livro, a Meg viajou completamente na maionese, criando um enredo no qual a personalidade dos personagens muda do nada, tipo, cadê o que ela tinha falado nos livros anteriores sobre eles? E também tem uma história super fraquinha que nem acrescenta nada ao resto da série. Uma pena!

Um comentário:

  1. Acho que a Meg só quis dar continuidade à série, já que tava fazendo sucesso, né... Além de querer abordar todos os "assuntos" que envolvem a época da adolescência.

    Lógico que, apesar de todas as boas intenções porque, QUEM SOMOS NÓS, RELES MORTAIS, PARA CRITICAR A RAINHA MEG CABOT???? QUEMMMM SOMOS??
    Pois bem. Só acho que apesar de todas as boas intenções, a Meggie não foi feliz nessa obra.

    Também cresci com a Mia, e ela foi minha ídola durante boa parte da minha pre-adolescencia, confesso... eu adorava. E tenho quase todos os livros da série (pecado não ter todosss).
    :D

    AMO <3 Princess Diaries ;)

    ResponderExcluir

Sigam-nos os bons!

Giselle lê

Robertha lê

Nathaly lê

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

Ache no blog

Curte aí!

140 caracteres