Título nacional: O Garoto da Casa ao Lado
Autora: Meg Cabot
Ano de lançamento: 2004
Número de páginas: 400
Editora: Record
Título original: The Boy Next Door

Confesso que já li esse livro faz tempo. Mas faz tanto tempo que ele foi totalmente inédito para mim. Como sempre, minha memória fez questão de me pregar peças.

Melissa Fuller, mais conhecida como Mel, é a jornalista responsável pela coluna de fofoca da página dez do pasquim New York Journal. Apesar não levar o emprego a sério, chegando sempre atrasada, e viver reclamando que deseja fazer matérias de jornalismo de verdade, ela ama o emprego que tem. Vive envolvida e sofrendo com as noticias dos famosos.

Sua vida seria até considerada boa se não fosse levado em conta o fato de ela ser uma mulher de 27 anos solteira em New York e Mel considerar esse estado civil um tipo de doença. Só que tudo fica ainda mais de pernas para o ar quando ela descobre que a vizinha, Helen Friedlander, teve o apartamento invadido e está em coma, após ter sido agredida, deixando para trás Paco, um cão dinarmaquês, e Sr. Botucas e Chico Bum, dois gatos que precisam de cuidados constantes.

Para evitar mais atrasos no serviço, ela entra em contato com o sobrinho da vizinha, o fotografo mulherengo nojento Max Friedlander. Infelizmente o cara está ocupado pegando uma modelo famosa e pede para um "amigo" ficar no lugar dele cuidando dos animais, já que a velhota é master rica e ele é único parente vivo, logo, o único herdeiro caso dê a sorte dela morrer.

O tal amigo é o também jornalista John Trent. Um ricaço que renegou a fortuna da familia para ter relacionamentos verdadeiros que não sejam baseados no amor pelo dinheiro dele. Nem preciso dizer que ele e Mel acabam se apaixonando, né? E que a mentira vira um grande obstáculo no namoro dos dois.

O Garoto da Casa ao Lado é contado por meio de e-mails trocados entre todos os personagens do livro. É e-mail do começo ao fim. Pode até parecer estranho, mas a ideia deu super certo e a história tem um ritmo bom. Além de ser muito divertida, mostra um relacionamento que tem tudo para dar errado, mas que o leitor não consegue fazer outra coisa senão torcer para que tenha um final feliz, é o tipo de situação que nunca vingaria na vida real.

0 comentários:

Postar um comentário

Sigam-nos os bons!

Giselle lê

Robertha lê

Nathaly lê

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

Ache no blog

Curte aí!

140 caracteres