Ao contrário da maioria da filmografia de Lindsay Lohan, repleta de comédias-quase-musicais-adolescentes, Ela é a Poderosa é um filme para ser levado a sério.

Rachel (LiLo) é uma garota problemática que vive doidona e tumultuando a vida dos outros. Depois de um acidente de carro, ela é obrigada pela mãe (Felicity Huffman), que é alcoólatra e também não tem muito autocontrole, a ficar em regime semi-aberto na casa da avó (Jane Fonda).

Muito se engana quem imagina que Georgia Randall é uma vovó clássica, do tipo que estraga os netos com muitos mimos. Na verdade, ela é o oposto. Essa é uma mulher absolutamente rígida que leva uma vida cheia de regras baseadas na moral e nos bons costumes.

Eu não quero entregar muito da história, mas garanto que na jornada de autoconhecimento de Rachel vários segredos da família acabam sendo revelados. Chega um momento que é difícil escolher em quem acreditar, porque a trama fica repleta versões do mesmo fato que não coincidem.

A principio Rachel pode até parecer atrevida, criada na cidade grande, acostumada a ter tudo que deseja e viver bem louca. Mas depois que ela revela um "segredo" fica mais fácil entender porque ela assim. Mesmo que toda história tenha dois lado e seja impossível saber quem está mentindo.

Além da atuação incrível desse trio feminino, quero destacar os personagens de Dermot Mulroney (o melhor amigo do filme O Casamento do Meu Melhor Amigo), o calado Simon Wars, e de Garrett Hedlund ( o irmãozinho do filme Quatro Irmãos), o inocente Harlan Wilson, porque eles acabam roubando a cena e eu tenho uma master queda pelos dois.

Um comentário:

  1. Olá!

    Ah, gostei muito da sinopse do filme. Quando puder ir à locadora, com certeza alugarei este! Parece ser realmente muito bom!

    Abraços,
    Ana Nonato.
    http://odesafiodecadadia.blogspot.com

    ResponderExcluir

Sigam-nos os bons!

Giselle lê

Robertha lê

Nathaly lê

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

Ache no blog

Curte aí!

140 caracteres