Por algum motivo desconhecido eu nasci imune ao vírus mais contagioso dos últimos tempos. As principais características dele são beleza inumana, pele fria e pálida como "mármore", cabelo cor de bronze e olhos cor de topázio líquido dourado. Pois é, Edward Cullen não me seduz. Mas como geralmente acontece quando o assunto é esse cara, eu confundi ator com personagem e estava falando Robert Pattinson.

Não vou entrar nos motivos que me levam a não achar ele sexy como a maioria da população feminina do universo. Mas no filme Lembranças eu meio que me rendi ao lado negro da força, a personalidade de poeta sofredor do Tyler mexe comigo. Mesmo que a interpretação do brilha muito no corinthians Pattinson deixe a desejar por causa do sotaque britânico/americano bizarro e as risadas sem sentido em momentos inapropriados, ele tá melhorzinho nesse papel. Tenho que dar o braço a torcer.

Lembranças conta a história de Tyler Hawkins (Robert Pattinson) que perde o rumo após a morte do irmão mais velho. Ao mesmo tempo que tenta se encontrar, ele tenta não seguir o caminho do irmão e trabalhar no escritório do pai workaholic (o eterno 007, Pierce Brosnan). No meio de tudo isso, ele vai preso injustamente por causa de uma confusão na noite de New York. Por ele estava tudo de boa na logoa, mas o amigo dele resolve se vingar do policial (Chris Cooper) responsável por essa noite atrás das grades. Então, Tyler começa a namorar a filha do policial que prendeu ele, a maluquinha Ally Craig (Emilie de Ravin). Essa é a parte mais clichê do filme, menino namora menina por vingança, menino se apaixona pela menina, menina descobre toda a palhaçada.

O filme é bom, mostra duas famílias desestruturadas, o modo como cada um lida isso. Tem quem considere muito apelativo por causa das citação a Gandhi, por vê-lo como apenas um drama romantico. Só que fica bem claro que o romance é figurante nessa história, o mais importante é como a dor das pessoas faz com que elas se transformem, e mais do que isso, mostrar como cada uma dessas pessoas lida com essa maldita dor de perder alguém que ama. O final é inesperado, chocante! Muito lindo e triste. Vale a pena deixar o preconceito de lado e assistir.

Um comentário:

  1. Eu fui assistir achando q realmente era um romance hihiihi.. mas fui surpreendida.. é drama familiar puro.. mas muito interessante e com final inesperado.. e principalmente se alguém for assistir em uma data como essa q vc postou...

    gostei das atuações do Robert e da Emily...

    ResponderExcluir

Sigam-nos os bons!

Giselle lê

Robertha lê

Nathaly lê

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

Ache no blog

Curte aí!

140 caracteres