Nessa sessão falarei da minha ínfima pequena participação no mundo dos videogames. E para a estréia, escolhi o meu jogo preferido, o que fez eu me interessar um pouco mais pelo assunto: Heavy Rain.


Heavy Rain é uma proposta de filme interativo. E ele realmente consegue alcançar essa expectativa.

No jogo, uma cidade onde chove eternamente é atormentada por um assassino em série conhecido como Origami Killer. Ele tem o modus operandi de sequestrar meninos de idade entre oito e onze anos e depois abandona os corpos em locais afastados sempre com uma orquídea e uma dobradura de papel, um origami. No jogo você pode controlar quatro personagens. Um pai que procura seu filho sequestrado, um detetive particular contratado pelas familias das vítimas, uma jornalista chata e um agente bonitão do FBI, daqueles que faz perfis de serial killers.


Nisso que o jogo consegue ser inovador. Você controla os quatro personagens mesmo. O destino deles e da história do jogo está literalmente em suas mãos. Toda e qualquer atitude que você tome poderá e terá influência em uma situação futura. Além de que não existe game over. Se o personagem morre, é isso aí. A história continua sem ele.

Logo na primeira sequência, enquanto você aprende os primeiros comandos, você percebe que todas as ações, até as mais banais como escovar os dentes, estão sob o seu controle (trocadilhos a parte). Chega uma hora em que isso se torna um pouco repetitivo, mas pra alguém como eu que não está tão acostumada com a rotina de um videogame, isso torna a jogabilidade bem mais fácil. Nessa mesmo sequência, você começa a entender como você começa a criar vinculos com o personagem, o que torna as cenas de vida ou morte mais emocionates ainda.

Heavy Rain é feito pela produtora Quantic Dream, a mesma de Indigo Prophecy (talvez eu faço uma resenha sobre esse também). A proposta deles é criar, não jogos, mas verdadeiros filmes em que o jogador não é um mero espectador, mas totamente capaz de mudar o destino da história e dos personagens.

O jogo é exclusivo para o Playstation 3, por isso se você tem um dando sopa aproveite, ou vá fazer uma visita a alguém que tenha. Sério. Vale muito a pena.

Ps.: Para constar, jogo por diversão, não sou nenhuma especialista.

2 comentários:

  1. Não sou muito fã de jogos.. pq eu fico enjoada logo.. ai eu desisti dele há anos...

    Mas nesse estilo de interação eu adoro!!!!!!! Mas ainda ñ é suficiente para fazer eu ir lá e jogar rs rs

    mas é uma ótima dica!

    ResponderExcluir
  2. eu conheço esse jogo, terminei ele e adorei de verdade, é com certeza o melhor jogo da categoria!

    ResponderExcluir

Sigam-nos os bons!

Giselle lê

Robertha lê

Nathaly lê

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

Ache no blog

Curte aí!

140 caracteres