Título Nacional: Carrie, a estranha
Autor: Stephen King
Ano de Lançamento: 20o9
Número de Páginas: 290
Editora: Ponto de Leitura (Objetiva)
Título Original: Carrie

Esse não é um livro fácil. Não digo no sentido de ser mal escrito, pelo contrário - Stephen King fez um ótimo trabalho. A dificuldade talvez venha do fato de que apesar de ser um livro de terror, é sobre dois tipos de terrores que acontecem diariamente e são tão reais que só quem já sofreu (ou sofre) com isso sabe.

O livro conta a história da adolescente Carrie, que é vítima de todos os tipos possíveis e imagináveis de bullying na escola. Em casa, tem como companhia a mãe enlouquecida pelo fanatismo religioso. Histórias como a de Carrie acontecem todos os dias, em todos os lugares do mundo. Spoiler a partir daqui! A diferença entre a Carrie do livro e todas as outras Carries pelo mundo é que a do livro tinha poderes sobrenaturais para "vingar-se" das injustiças, botando escola abaixo e fogo em metade da cidade. Spoiler acabou!

Outra coisa que me chamou atenção durante a leitura foram as passagens inseridas no meio da narrativa, como se fossem trechos de livros de estudos sobre o que aconteceu com Carrie. Deu um toque a mais de realidade. E eu confesso que fiquei com mais vergonha pelo que faziam com ela e pena da Carrie do que com medo dela. Medo mesmo eu fiquei foi da mãe fanática, nossa, que mulher horrível!

A história já foi adaptada para o cinema duas vezes, se eu não me engano. A versão que eu assisti tinha o John Travolta bem jovem - não pude deixar de imaginar o Tommy do livro com a cara do ator. Recomendada a leitura, que é rápida e fala de assuntos que continuam aí até hoje (infelizmente) mesmo o King tendo escrito em 1979.

Um comentário:

  1. Este livro é incrível. Foi o primeiro que li do King e o que me fez tornar-me fã do cara.
    A história, embora se passe nos anos 70/80 é atual até hoje, com um assunto polêmico e que continua nos dias atuais.
    E a Carrie é de morte, literalmente.
    Ótima resenha, Nathaly.

    ResponderExcluir

Sigam-nos os bons!

Giselle lê

Robertha lê

Nathaly lê

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

Ache no blog

Curte aí!

140 caracteres