Título nacional: Sangue quente
Autor: Isaac Marion
Ano de lançamento: 2011
Número de páginas: 256
Editora: Leya
Título original: Warm bodies 


Quem diria que um zumbi pudesse ser tão apaixonante? R é um zumbi em crise existencial. Ele não sabe há quanto tempo está morto, não lembra de seu nome completo, nem de como era sua vida antes do mundo virar o caos em que se encontra. 


Ele "mora" em uma das muitas comunidades zumbis, em que eles, surpreendentemente, se organizam com grupos de caça, aulas para as crianças e até casamentos. Quem manda são os "ossudos", os zumbis mais velhos que formam uma espécie de juri que coloca a ordem no barraco controla os morto-vivos. E quanto aos humanos? Eles ainda existem, mas foram obrigados a se trancarem em estádios para que se protegessem e toda a estrutura da sociedade fosse reestruturada.


Numa das "caçadas" de R ele ataca o cérebro de um garoto e assim tem acesso às suas lembranças e eis que o zumbi se vê apaixonado pela namorada de sua vítima e sente a necessidade extrema de protegê-la naquele mundo caótico. 


E se você acha impossível torcer para um zumbi levar a melhor é porque não leu Sangue quente. A narrativa do estreante Isaac Marion é simplesmente maravilhosa. Apesar de ser um morto-vivo, R tem pensamentos complexos que colocam à prova nossa percepção da vida. Muito mais do que um romance, o livro faz uma critica a quando nós esquecemos de viver e passamos a existir, como verdadeiros zumbis. 


Sangue quente é uma releitura dos zumbis que é uma ótima surpresa. 


Só um aviso: Não, não é um Crepúsculo com zumbis.

Um comentário:

  1. nao 'e mesmo estou lendo e 'e muito bom mesmo !
    e ao ser comparado com crepusculo apenas pela autora comentar sobre o livro por favor leiam e depois tirem suas proprias conclusoes !!
    'e um romance meio macabro sim mais 'e isto que nos motiva a continuar lendo e se admirando com as caracteristicas dos personagens poor isso repito leiam primeiro e depois o critiquem!
    beijos.

    ResponderExcluir

Sigam-nos os bons!

Giselle lê

Robertha lê

Nathaly lê

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

Ache no blog

Curte aí!

140 caracteres