Título nacional: Sushi
Autora: Marian Keyes
Ano de lançamento: 2004
Número de páginas: 560
Editora: Edições BestBolso
Título original: Sushi for beginners

Sushi narra a vida de três mulheres completamente diferentes e de alguma forma interligadas.

Lisa Edwards é uma editora de revista feminina badass que desde sempre viveu em função do emprego. Quando a chance de subir na vida finalmente acontece, o tiro sai pela culatra, e ao invés do sonhado cargo cheio de glamour em New York, ela ganha uma passagem para Dublin, com a missão impossível de começar uma revista do zero.

Asheeling Kennedy perdeu o emprego e na hora do desespero se candidatou para as coisas mais improvaveis. A unica tentativa que deu certo foi a menos sem noção,  um cargo numa nova revista. Além da aparencia bem comum, a tadinha não tem cintura e é bastante insegura. Ela não conquistou os chefes de cara, foi necessário tirar uma caixinha de band-aid da bolsa, mostrando o quanto era prestativa, para que o emprego fosse garantido.

Clodagh Kelly é uma rica dona de casa, que tem o marido e a casa dos sonhos. Nunca está satisfeita com a decoração e por isso vive fazendo reformas. Apesar de não trabalhar, não tem muito tempo livre porque as crianças a mantêm ocupada. Ela sente que falta algo na vida dela, o que a torna muito infeliz.

Aos poucos as histórias delas são aprofundadas mostrando porque elas são como são, e ao mesmo tempo que os medos, de cada uma, são explorados. A Lisa se torna quase humana quando chega a beira do fracasso, pessoal e profissional, com a chegada da papelada do divórcio. Asheeling se expõe quando a traição do namorado a deixa tão deprimida quanto um dia a mãe dela foi. E a Clodagh é uma vadia e ponto, não tem explicação.

Assim como todas as obras da Marian Keyes, Sushi alterna momentos engraçados e tristes, que independente do estado de espírito do leitor, envolvem do começo ao fim.

0 comentários:

Postar um comentário

Sigam-nos os bons!

Giselle lê

Robertha lê

Nathaly lê

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

Ache no blog

Curte aí!

140 caracteres