Título Nacional: Especiais (Feios #3)
Autor: Scott Westerfeld
Ano de Lançamento: 2011
Número de Páginas: 351
Editora: Galera Record
Título Original: Specials


Especiais faz parte de uma série, portanto, se você ainda não leu nenhum livro da saga, essa resenha pode ser considerada um imenso spoiler. Ficou interessado? Aqui no blog também tem resenha de Feios e Perfeitos.

No final de Perfeitos, a coisa fica feia e a pentelha da Shay resolve transformar Tally numa Especial. Com essa nova metamorfose, Tally vira uma Cortadora e passa a fazer parte da elite das Circuntâncias Especiais. Em outras palavras, passa a ser o capacho de Shay, obedecendo cegamente qualquer ordem.

Quando Zane ressurge das cinzas, cheio de sequelas do que os nanos robôs fizeram com o cérebro dele, duas coisas ficam bastante claras: ele tem que se tornar um Cortador para deixar de ser medíocre e, além de alienada, Tally está possuída por um sentimento de superioridade absurdamente nojento. Não demora para Zane e os Crims irem em busca de Nova Fumaça, sendo seguidos por Tally e Shay. 

Antes de qualquer coisa, quero reforçar aqui o quanto a Tally está insuportável neste livro, sério, ela nunca foi TÃO chata. Talvez por causa disso, achei a parte do romance bastante fraca, fosse ela com Zane ou David. Gostei das criticas à sociedade que são quase subliminares, os enferrujados têm muito o que aprender. A forma como o ciclo se fecha é criativa, relativamente surpreendente e são necessárias várias reviravoltas para chegar até ali. Só achei que Especiais tem um ritmo muito frenético e por isso, o fim parece meio abrupto. Scott conseguiu ligar todos os pontos, mas tudo acontece rápido demais.

Como diriam os Cortadores, não achei o livro totalmente sagaz ou medíocre. Não fiquei decepcionada, mas acho que, bem lá no fundo, esperava um pouquinho mais. 

0 comentários:

Postar um comentário

Sigam-nos os bons!

Giselle lê

Robertha lê

Nathaly lê

Tecnologia do Blogger.

Ache no blog

Curte aí!

140 caracteres