Título: O Vendedor de Sonhos - O Chamado
Autor: Augusto Cury
Ano de lançamento: 2009
Número de páginas: 295
Editora: Academia

Esse não é o tipo de livro que eu procure ler sempre. Mas vi o tópico dele na comunidade do Livro Viajante no Skoob e decidi me inscrever para recebê-lo.

Acho que poderia definir o livro como auto-ajuda disfarçada de romance. Nele é contada a história de um homem com vestes e aparência humildes, que logo no primeiro capítulo consegue fazer com que um professor universitário desista de cometer suicídio e o convence a seguí-lo em uma grande aventura: vender sonhos para as pessoas. 

E o que é vender sonhos? O homem chama a atenção das pessoas por questioná-las, lembrando de coisas que deveriam ser fundamentais, como amor ao próximo, convivência com a família, não julgar tanto os outros antes de conhecê-los, saber perdoar, tudo isso que acabou ficando esquecido pela maioria das pessoas na correria e na competitividade da vida nas grandes cidades.  

Então, questionadas e surpreendidas pelo discurso do vendedor de sonhos, as pessoas passam a voltar a pensar e tentar praticar a melhora de suas vidas, correr atrás dos seus sonhos. Ele vai causando pequenas e grandes revoluções por onde passa, entre as pessoas da cidade e seus seguidores.

É um livro que te faz pensar, mas eu não sei como me senti sobre ele. Em algumas partes, quase parei de ler porque o clichê era demais. Em outras, eu gostei do que era dito e quase anotei o trecho, de tão legal que era. Chegando ao fim da leitura, sou uma pessoa dividida. Li por curiosidade, não sei se recomendaria a leitura para qualquer pessoa, talvez só para curiosos que nem eu.

0 comentários:

Postar um comentário

Sigam-nos os bons!

Giselle lê

Robertha lê

Nathaly lê

Tecnologia do Blogger.

Ache no blog

Curte aí!

140 caracteres