Título nacional: Garoto encontra garota
Autora: Meg Cabot
Ano de lançamento: 2006
Número de páginas: 400
Editora: Record
Título original: Boy meets girl


Esse livro não é a continuação de O garoto da casa ao lado, mas acho muito valido ler na ordem de publicação. Seguindo essa lógica, Garoto encontra garota é o segundo da série Boys. E só fazendo isso é possível reconhecer alguns nomes nos emails e saber que algumas pessoas são incapazes de mudar.

Kate Mackenzie queria mudar o mundo, mas esse é o tipo de coisa que dificilmente dá muito dinheiro, então ela começou a trabalhar no setor de Recursos Humanos do The NY Journal, graças a ajuda da melhor amiga Jen, que já era funcionária lá. As duas são obrigadas a aceitarem caladas as ordens da chefe autoritária Amy Jenkins, a mesma pentelha que infernizava a vida da Mel no livro anterior e que é mais conhecida como TPM - Tirana, Perversa e Maldosa.

Jen é uma pessoa tão boa que, além de arrumar um emprego, ainda aceitou sem problemas a mudança da amiga para o sofá dela. Tudo porque depois de 10 anos de relacionamento, Kate descobriu que Dale, um músico prestes a assinar um contrato com a gravadora, não está a fim de compromisso. Nada de casamento. O jeito foi sair de casa sem olhar para trás e não surtar com as serenatas fora de hora que o cara está disposto a fazer.

Mas a vida só fica complicada de verdade quando a TPM obriga Kate a mandar embora a doceira mais querida do jornal, só porque a mulher se recusou a servir o Stuie, um cara arrogante que por acaso é noivo da TPM. Porém, essa história não acaba por aqui, pois a tal doceira entra com um processo contra The NY Journal e Kate tem que lidar com o tipo de gente que ela mais odeia: advogados. Nesse caso é o Mitch, que é irmão da Stacy, que é casada com o Jason, que é irmão do John que se casou com a Melissa do livro anterior.

Mitch odeia o sistema corporativo e aceitou esse emprego por dois motivos: o pai que desejava muito isso estava quase morrendo do coração e a oportunidade de fazer a vida do irmão mais velho, o Stuie, um inferno. Na realidade, ele sonhava em mudar o mundo e tentava fazer isso sendo defensor público.  Logo rola um sentimento entre ele e Kate, mas só lendo para descobrir no que isso vai dar.

Dessa vez, Meg Cabot foi além dos emails, os personagens se comunicam por meio de mensagens instantâneas, páginas de "diário", recados na secretária eletrônica, memorandos e anúncios dos classificados. O livro é divertido e passa super rápido, é do tipo que a gente começa e não quer lagar mais.

Um comentário:

  1. Não sabia que o "mocinho" desse livro era o irmão da Stacy do primeiro livro. Gostei dessa ligação.
    Já li o terceiro e o primeiro livro da série, nessa ordem, e realmente não há problema em ler fora de ordem, mesmo assim conseguimos fazer as conexões.
    Eu conheci a Dolly Vargas no livro 3 e só a vi em ação no livro 1. A Amy Jenkins foi citada no 3 e mandou alguns emails no livro 1, e agora é a "vilã" do 2. Legal.

    ResponderExcluir

Sigam-nos os bons!

Giselle lê

Robertha lê

Nathaly lê

Tecnologia do Blogger.

Ache no blog

Curte aí!

140 caracteres