Título nacional: "A breve segunda vida de Bree Tanner: Uma história de Eclipse"
Autor(a): Stephenie Meyer
Ano de lançamento: 2010
Número de páginas: 190
Editora: Intrinseca
Título original: "The second short life of Bree Tanner: An Eclipse Novella "

Quando vi o lançamento desse livro meu primeiro pensamento foi "Quem é essa Bree?". Depois de pesquisar um pouquinho, descobri que era a vampira que se rende no final de Eclipse. Lá vou eu procurar a tal passagem. A Bree aparece umas duas páginas, três talvez, e não vou estar estragando o final pra niguém ao dizer que, bem, ela morre.

Então é isso, o livro conta como foi a curta vida de recém-criada de Bree. A história já começa com ela transformada. Como Sthephenie fala no seu prólogo, nesse livro ela teve a oportunidade de pensar e descrever como os vampiros "de verdade" se comportam, quando eles não precisam se privar de sangue humano. E logo, na primeira cena do livro, temos a novata Bree, numa caçada por "alimento". Os outros dois vampiros que estão com ela são impiedosos e não têm nenhum problema com o número de vitímas que eles deixam para trás. Mas, Bree é diferente deles, mesmo matando humanos, ela procura por aqueles que, segundo ela, seriam escória da sociedade.

Nessa noite, é que ela conhece Diego, outro recém-criado. Ele também consegue ter consciência de seus atos e ser civilizado assim como Bree. E após uma longa conversa eles percebem que podem ser grandes amigos ou até mais. E só isso que falarei para evitar spoilers.

O legal do livro é ver o outro lado da história. Como Riley mantinha os recém-criados, como ele os treinou. Tudo o que não se sabia só por ler Eclipse. Apesar que, mais uma vez pela história ser contada apenas pelo ponto de vista de Bree, há várias limitações. Só podemos supor o que Riley fez ou não fez. Claro que algumas coisas ficam implícitas. Agora, uma coisa que sempre falo dos livros da Meyer, é que ela simplesmente não escreve o climáx da história. Nesse não é exceção. Espera detalhes da luta? Quem lutou com quem, o que os Cullens e os lobisomens fizeram? Não. Isso porque Bree chega "atrasada". Sempre é assim, quando chega o momento do confronto, ou a Bella desmaia (Crepúsculo) ou tudo se resolve magicamente (Lua Nova).

Acabei de terminar de ler esse livro, e ainda não consegui decidir se eu gostei ou não. Tudo antes da luta achei meio sem graça. A Bree não me cativou logo no início. Mas a partir do momento do confronto entre os recém-criados e os Cullens, comecei a gostar da leitura. Acho que senti saudades de ler sobre os "vampiros dos olhos amarelos" e o "vampiro de cabelos cor de bronze". Outra coisa legal, é tentar juntar as duas histórias, agora com as duas versões. Tenho que admitir que nisso a Stephenie é boa, ela consegue reescrever a mesma história de outro ponto de vista criando uma nova e sem perder o sentido original (Como no esquecido não acabado, Midnight Sun).

Bem, é isso. "A breve..." com certeza vai agradar aos fãs de Crepúsculo, nem que seja pra poder ler mais algumas páginas sobre os nossos queridos "vampiros de olhos amarelos".

Um comentário:

  1. zeeeeeeeeeenthi, essa mulher não cansa de tentar reavivar os vampiros?? já chega, né? kkk
    admito que tenho todos os da saga crepusculo, mas sinceramente não sei o que me prendeu tanto a eles, na epoca que li. Todos os personagens são chatos, a pior de todas a Bella. Argh.
    Mas enfim... e o filme só confirma os personagens chatos pela má escolha do elenco né, fica dica.
    Mas fiquei curiosa com essa Bree. Não me lembro dela. Fuçarei minhas páginas aqui pra lembrar-me!!! :}

    ResponderExcluir

Sigam-nos os bons!

Giselle lê

Robertha lê

Nathaly lê

Tecnologia do Blogger.

Ache no blog

Curte aí!

140 caracteres