227 dias para arrumar um namorado

Pelo subtítulo você já pode começar a imaginar o que vem por aí. Encontro às cegas foi escrito pela autora argentina Carolina Aguirre e, também, foi uma das leituras mais gostosas que já fiz, apesar de ter sido usada a fórmula mágica dos livros deste gênero. A história gira em torno de Lucía, que tem 30 anos, está acima do peso e trabalha em um emprego que mal dá para pagar seu aluguel.

Lucía tem uma vidinha sem graça - trabalho, casa, trabalho - e, desde que rompeu com seu ex, Rodrigo, nunca mais se relacionou. Além de ter que conviver com a seca, Lucía tem que lidar com a insistência de sua mãe em tentar casá-la a qualquer custo. Porém, uma notícia repentina muda sua vida completamente. Sua irmã mais nova, Irina, vai se casar!

A caçula é o oposto de Lucía e com o casório a vista, a mãe não vai deixar por menos. Terá o imenso prazer em relembrar que quem já deveria estar casada não está e fica batendo na mesma tecla: Lucía nunca vai conseguir arrumar um namorado se continuar comendo daquele jeito. Como se não bastasse jogar na cara da filha mais velha sua solidão, apostará com Irina que no dia de seu casamento Lucía estará de vestido preto, sem namorado e bêbada. Como se isso não bastasse, a matriarca diz que se isso não acontecer, irá arcar com todas as despesas do casamento.

Lucía se vê desafiada e acha que está na hora de mudar o rumo de sua vida e fazer sua mãe pagar pelos muitos canapés e bem-casados que sua mãe irá consumir. Ela irá arrumar um namorado de verdade - e não vale ser garoto de programa, irmão da amiga ou amigo fingindo.

Início da partida: 227 dias para arrumar um namorado. De início, Lucía tem três opções: Rodrigo, o ex, Marcelo Ugly, o colega de trabalho desprovido de beleza e Eduardo, o contador um tanto pão duro. Depois ela lembra de Mathias, o gato do trabalho que parece não dar muita bola pra ela, mas isso não a desanima. Ela vai em frente. Tentará encontros pela internet, encontros às escuras e muito mais. As ideias de Lucía nos proporcionam momentos divertidíssimos e vale a pena acompanhar essa trajetória.

Apesar da autora ter usado o mesmo beabá dos chick lits, gostei muito do desenrolar da trama; foi diferente o jeito da narrativa. É uma leitura indicada para quem quer relaxar e dar boas risadas. Indico!

0 comentários:

Postar um comentário

Sigam-nos os bons!

Giselle lê

Robertha lê

Nathaly lê

Tecnologia do Blogger.

Ache no blog

Curte aí!

140 caracteres