“Coincidência é só o nome que os conformistas dão ao destino.” 

Camryrn Bennett tem 20 anos e uma vida como a de qualquer outra garota de sua idade. Ela estuda e tem planos de sair da casa dos pais e começar um emprego totalmente inusitado, mas sua vida vira de cabeça pra baixo. Camryn tem que lidar com duras perdas: a morte do namorado em um acidente de carro, o divórcio repentino dos pais e a prisão do irmão mais velho. Sem imaginar que mais alguma coisa bizarra poderia acontecer, o namorado de sua melhor amiga se declara para ela e a partir dái, todas as suas certezas e planos se desfazem. Totalmente perdida e sem saber qual rumo tomar, Camryn parte para a rodoviária e toma o primeiro ônibus interestadual, sem se importar com o destino.

Apenas com alguns itens indispensáveis, Camryn parte em busca de respostas e durante a viagem conhece Andrew Parrish, um cara de 25 anos e super misterioso, que parece estar fugindo de seus próprios medos e segredos. Os dois causam mudanças um no outro totalmente visíveis durante o trajeto e de repente, estão dividindo angústias, tristezas, sorrisos e momentos extremamente importantes.

De início, Camryn é muito desconfiada e tenta lutar contra qualquer indício de romance no ar, já que quer manter esse sentimento longe de si desde que jurou nunca mais se apaixonar após a morte do namorado. Porém, a media que eles vão viajando pelo país, vão explorando seus próprios sentimentos e limites, além de dividir experiências novas e bastante intensas.

Entre o agora e o nunca é narrado em capítulos que alternam as vozes de Camryn e Andrew, o que é muito bom, já que podemos conhecer os dois lados. A escrita é rápida e a autora soube conciliar a história romântica com os altos e baixos da vida. Porém, é um livro um tanto "pesado" se você não está acostumado a um tipo de literatura mais adulta, já que os personagens não são mais adolescentes. Só achei que o final poderia ser mais trabalhado para não dar um desfecho tão clichê. Pareceu que a autora estava com pressa de terminar ou não tinha mais o que escrever e puff...colocou aquilo mesmo. É um livro bom para passar o tempo, mas não espere ser surpreendido com o final. 

0 comentários:

Postar um comentário

Sigam-nos os bons!

Giselle lê

Robertha lê

Nathaly lê

Tecnologia do Blogger.

Ache no blog

Curte aí!

140 caracteres