Ou: o livro que poderia muito bem se chamar Frustração!
Ou: o cara mais babaca de todos os livros de YA
Ou: quando eu e a Giselle viemos resenhar pela primeira vez um livro que lemos juntas

Para começo de conversa, essa resenha vai conter spoilers, porque é uma história daquelas que não tem como você comentar sem falar sobre coisas que podem ser consideradas spoilers! Então, se vocês não querem descobrir coisas sobre a trama intrincada (tosse ironicamente) de Obsidian, podem ler o livro e depois voltar para ler esse post! Assim todo mundo fica feliz! Ou melhor, se você ler mesmo, assim você pode experimentar diversas sensações como frustração (principalmente!), momentos de vergonha alheia e algumas risadas!

Como todo bom livro de YA, a história começa quando Kat se muda para uma nova cidade. Uma cidade minúscula daquelas que teve ter só uma rua principal. Ai numa tentativa boba de conhecer seus novos vizinhos ela vai até a casa ao lado para perguntar onde fica o mercado. E Kat encontra simplesmente o cara mais lindo e descamisado que ela já viu na vida! Coisa de outra planeta!

Claro que ele, além de lindo, é grosseiro, misterioso e, eu já falei grosseiro? Sério, perto dele o Jace de Instrumentos Mortais é o cara mais simpático da galáxia. Pois é, sente a tensão.

Logo depois Kat conhece a irmã de Daemon (o nome do vizinho), Dee. Com as duas é amizade eterna à primeira vista. Elas se tornam BFF mais rápido que um pacote de miojo demora para ficar pronto. A partir disso, as esquisitices começam.

Daemon fica todo protetor com a irmã e deixa bem claro, mas bem claro mesmo, que não quer que Kat seja amiga de Dee. Como se a menina fumasse crack ou algo assim. Mas Kat é uma menina tranquila. Ela tem um blog de livros (#todoscurte) e prefere passar o seu tempo em casa lendo e cuidando do jardim mais do que qualquer coisa. Então porque a repulsa de Daemon?

E é tudo realmente muito esquisito: o jeito como Daemon trata a Kat é inaceitável por qualquer pessoa com o juízo em perfeitas condições. Mas não teria livro se ela não continuasse insistindo e o Daemon (e seus amigos!) não continuassem sendo terríveis com ela. Começa aí a grande frustração! Até que finalmente é revelado o porque de tanta má-educação e você pensa que vai melhorar mas... a frustração continua!

Briga vai, briga vem, Daemon revela sua verdadeira identidade. Não, ele não é o Batman. Não, não é um vampiro. Ele é um alien. Sim, ele, sua irmã e seus amigos estranhos vieram de outro planeta(!). Ok, respiraram? Vou parar por aqui nessa parte do alien porque acho que já foi spoiler o suficiente. Bem, depois disso revelado, você pode até pensar que a relação entre os dois mudaria algo. Afinal ele mostrou que é uma grande luminária de outro planeta. Mas, não! Ele continua tão irritante quanto antes e ela continua tentando ter algum tipo de amizade, relacionamento, basicamente algo com ele. Realmente ela não fica suspirando de amores por ele... Mas, amiga! Sai dessa agora! O cara é um babaca com você!

Obsidian é o típico caso de livro guilty pleasure. Todos nós sabemos que a história não vai a lugar nenhum, mas mesmo assim é impossível não ler capítulo após capítulo para saber o que vai acontecer em seguida!

Apesar de reconhecer que o livro não é uma obra prima - a autora repete muito as palavras, os personagens são irritantes ao extremo e tem atitudes estúpidas a todo momento - acredito que tanto eu quanto a Giselle acabamos nos divertindo com a leitura. Então se você procura um livro bem juvenil sobre um romance de uma garota com um ser sobrenatural que não brilha ao sol, mas quando fica em sua forma original acende que nem uma luminária, esse é o livro pra você!

0 comentários:

Postar um comentário

Sigam-nos os bons!

Giselle lê

Robertha lê

Nathaly lê

Tecnologia do Blogger.

Ache no blog

Curte aí!

140 caracteres