Todo mundo conhece a história da Cinderela e diversos elementos dela são citados constantemente, como "a meia noite a carruagem virará abóbora, temos que ir embora" e a ideia de uma fada madrinha que nos transforme totalmente de criada da madrasta a sensação do baile que arrasa o coração do príncipe aparece constantemente em reality shows na televisão.

Marissa Meyer se utiliza de vários pontos do clássico e o transporta para o futuro, em uma história onde a Cinderela se chama Cinder e é meio ciborgue, pois quando era criança sofreu um acidente e os médicos acharam como única forma de lhe salvar acrescentar as partes robóticas a ela. E Cinder vive em Nova Pequim, que é a capital da China reconstruída depois da Quarta Guerra Mundial.

E isso é só um resumo da história, que envolve uma epidemia misteriosa que vem arrasando Nova Pequim, um príncipe enfrentando dilemas pessoais e políticos, a rainha do povo lunar vindo ao planeta sem nenhuma boa intensão, Cinder tendo que lidar com sua madrasta (toda aquela relação problemática que conhecemos do conto de fadas...).

É um livro com uma história bem adaptada e transformada em algo extremamente envolvente e bem escrito. Marissa Meyer te prende desde o começo e faz você ir virando página atrás de página, com a curiosidade sempre em alta com o que irá acontecer, além de criar personagens cativantes pelos quais você se pega torcendo e sendo preso em uma montanha-russa de emoções.

Depois de terminar a leitura senti que esse é um livro daqueles que eu recomendaria para todas as pessoas, porque é muito bem escrito e tem uma ótima história! Mesmo que você não se interesse muito por ciborgues e etc ou não goste muito da história da Cinderela, eu recomendo que você dê uma chance ao Cinder, porque vale muito a pena.

0 comentários:

Postar um comentário

Sigam-nos os bons!

Giselle lê

Robertha lê

Nathaly lê

Tecnologia do Blogger.

Ache no blog

Curte aí!

140 caracteres