É o primeiro livro de Haley Tanner e ela nos conta a história de Vaclav e Lena. Duas crianças que parecem que estão destinadas um ao outro desde sempre. Os dois são imigrantes russos e se conhecem pela primeira vez aos 6 anos, em uma aula de inglês para imigrantes. Vaclav é cheio de vida, espontâneo, falante e com uma facilidade incrível para a língua nova. Lena é introspectiva e tímida e isso se dá pelo seu histórico de vida. Tem uma tremenda dificuldade com o idioma e isso acaba dificultando fazer outros amigos. Com isso, Lena acaba depositando toda confiança em Vaclav e se refugia no amigo.

Um tem adoração pelo outro. Vaclav sonha em ser mágico e, com toda sua criatividade e ingenuidade, imagina a história dos dois acontecendo como se fosse em um conto de fadas. Porém, uma das lições que o livro nos ensina é que o "felizes para sempre" pode ter um desfecho bem diferente do tão conhecido jargão.

Vaclav e Lena são inseparáveis. Vivem um atrás do outro e nutrem uma paixão muito inocente e bonita. De repente, Lena não vai à escola. Desaparece da vida de Vaclav e de sua família com em um cruel toque de mágica. O menino, claro, sofre muito com o desaparecimento da amiga e durante os próximos sete anos, deseja boa noite à Lena todas as noites e não deixa de pensar um dia sequer na amiga. Finalmente, no dia do aniversário de 17 anos de Lena ele descobre o que aconteceu com a menina.

Vaclav & Lena é uma história muito sensível e adorável. É cheia de elementos realistas, mas ao mesmo tempo, inocentes. A autora foi muito perspicaz ao conseguir passar todas esses detalhes sem tornar o romance entre os adolescentes piegas e clichê. Além do clima romântico, a curiosidade toma conta de nós quando Lena some e não conseguimos parar de ler até descobrir, junto com Vaclav, o que aconteceu com ela. Os protagonistas são tão reais, que tem umas horas que parecem ser palpáveis.

É uma história de amor, inocência e realidade. Mostra, principalmente, que o amor pode vencer barreiras de distância e, até mesmo, curar feridas que pareciam incuráveis. 

0 comentários:

Postar um comentário

Sigam-nos os bons!

Giselle lê

Robertha lê

Nathaly lê

Tecnologia do Blogger.

Ache no blog

Curte aí!

140 caracteres