Este livro foi lido para o Desafio Literário do Tigre. O tema de dezembro era "guilty pleasure".

Sempre curti ler esses romances leves ou como gosto de chamá-los "romances de banca". Eles são ótimos para quando você só quer ler algo que não exija muito tempo, nem muita concentração, por serem curtos e terem uma história bem simples de acompanhar. Por isso quando vi que o tema de dezembro era "guilty pleasure" resolvi encerrar o desafio com um livro de Patricia Cabot, pseudônimo de Meg Cabot .

Pode beijar a noiva conta a história de Emma que resolveu ir contra todos em sua família e se casar com Stuart, rapaz que almejava seguir a carreira eclesiástica. O problema é que todos estavam certos e doze meses depois, Emma estava viúva e o marido a deixou sem nada. Na verdade, ela até tinha uma herança para receber , mas para isso deveria se casar novamente. E não era tão fácil assim convencê-la disso. Até que James, o primo de Stuart aparece para mudar tudo isso. 

Emma e James cresceram juntos e sempre tiveram uma relação de gato e rato. Porém, Emma sempre correu atrás do primo Stuart, provavelmente porque ele não dava a minima para ela. Diferente de James que achava que irritá-la era a melhor maneira de conquistá-la. Até perder a garota para o primo. Agora ele acha que tem mais uma chance para poder ficar com ela e não quer desperdiçá-la. 

O que eu mais gostei do livro é que por ser um narrador onipresente podíamos ver os pensamentos tanto de Emma como de James, o que sempre acrescenta muito numa história. Gosto de poder ler sobre a mesma história em pontos de vista diferentes. E além disso, os capítulos eram bem curtos o que facilita a leitura.  

Um ponto negativo é que a história ficou muito superficial. Sei que esse tipo de livro não costuma ter personagens e conteúdos profundos, mas achei que faltou um pouco mais de desenvolvimento de alguns personagens secundários. Ficou tudo muito "de leve", como se estivesse faltando algo. E tudo acontece em duas semanas no máximo, o que dá mais sensação que nada aconteceu. 

Porém, não posso reclamar muito já que todos os elementos estavam presentes. Uma mocinha teimosa, um mocinho que antes era mulherengo, mas que só estava esperando pela mocinha que mudaria sua vida, um mistério revelado nas últimas páginas e várias situações engraçadas. Sendo assim, Pode beijar a noiva é o típico romance para se ler em um dia e se divertir durante aquelas horas, mas nada profundo que mudará sua vida. Mas quer saber: qual o problema disso?

0 comentários:

Postar um comentário

Sigam-nos os bons!

Giselle lê

Robertha lê

Nathaly lê

Tecnologia do Blogger.

Ache no blog

Curte aí!

140 caracteres