Bella é apaixonada por Edward. Ele representa tudo o que ela preza em um homem. Romântico, maduro, talentoso. Pena que ele morreu há mais de 100 anos. Edward Willing é o pintor que dá nome à escola particular em que Bella estuda, ela o admira tanto a ponto de ter conversas imaginárias com ele. Porém isso não a impede de ter sentimentos com Alex, o garoto popular da escola.

Alex poderia ser mais um jogador bobão, mas Bella encontra um caderno seu caído no corredor e encontra belos desenhos que demonstram não só talento, mas sensibilidade. Aí que a menina fica mais apaixonada... Além de não fazer parte dos populares da escola a menina tem outro "problema", ela sofreu um queimadura quando era criança e nunca mais se sentiu segura com seu próprio corpo.

Li esse livro esperando que fosse parecido com Anna e o beijo francês, mas me enganei muito. The fine art of truth or dare fala bem mais da insegurança de Bella com seu corpo. Apesar do que todos falam, ela não se sente confortável para mostrá-lo para ninguém e ainda acredita que nunca ninguém irá amá-la devido a sua queimadura no ombro. Isso faz com que ela se esconda em seus desenhos e nas conversas imaginárias com seu par perfeito, Edward.

Bella poderia ser qualquer adolescente, já que essa é uma fase difícil e não se sentir bem com seu corpo acontece muito mais do que podemos imaginar. Apesar de entender a insegurança dela, não consigo concordar com a maneira que Alex a trata desde o começo da história. Não é que ele a trate mal... Mas também não a trata bem. No final, fica uma sensação de que a própria menina se sabotou algumas vezes por sua própria insegurança. Ok, mas Alex também não ajudou muito. Faltou maturidade aos dois.

The fine art of truth or dare vale a pena por ser mais que um simples romance e tratar de insegurança e mostrar que antes de tudo temos que nos aceitar e nos amar e que o resto vem em seguida.

Ps.: Só depois que escrevi a resenha que percebi que a primeira frase parece ter sido tirada de Crepúsculo.

Um comentário:

  1. Me interessei bastante pela história do livro. Fiquei com vontade de ler

    ResponderExcluir

Sigam-nos os bons!

Giselle lê

Robertha lê

Nathaly lê

Tecnologia do Blogger.

Ache no blog

Curte aí!

140 caracteres